BRA: 01/01/16 às 23:33
ATO: 01/01/16 às 23:53
Foto: Alex Bruno / Imprensa Global
Foto: Alex Bruno / Imprensa Global

A Estudante de Enfermagem Natalia Magalhães de 25 anos, não descansou até descobrir o dono da carteira que ela achou na rua em São João de Meriti, Baixada Fluminense. Dentro havia diversos cartões de créditos, cheques a receber, documentos e uma quantia de R$ 35,00 em espécie. O incidente aconteceu no ultimo Domingo (27) quando ela estava indo viajar.

“Algumas ruas depois que sai de casa, vi uma carteira no meio da rua. Parei a moto e pedi meu esposo que pegasse a carteira. Voltamos em casa para tentar entrar em contato com o dono e tive uma surpresa que me deixou mais desesperada, o dono era portador de deficiência física. Tentei achar algum telefone de contato e o único que achei, foi um numero de uma pessoa anotada em um papel. Liguei, mas tive que esperar essa pessoa entrar em contato com o dono da carteira”, explicou Natalia.

“Ela estava muito inquieta e nervosa, estava preocupada com meu amigo Ricardo, chegava a me ligar duas a três vezes por dia para saber se eu tinha conseguido falar com ele. Só no dia seguinte que consegui e dai marcamos para devolver”, explicou o intermediário em entrevista ao nosso Repórter.

A devolução aconteceu na ultima terça-feira (29) em uma lanchonete na Via Light, via expressa do Centro de Nova Iguaçu, Baixada Fluminense.

Honestidade:

Natalia, que sonha se capacitar na área da Saúde para cuidar e ajudar idosos em asilos, trabalha como vendedora em uma loja de Hortifrúti. Ganha pouco mais de um salário mínimo que usa para cobrir as despesas de casa e ajudar sua Família.

“O dinheiro não era meu, não é certo ficar com o que é dos outros. Trabalho dia e noite para sustentar minha casa e minha Família e gostaria que fizessem o mesmo comigo. Não tem preço a sensação de dever cumprido. Gostaria muito que as pessoas pensasse mais no próximo, tivesse mais solidariedade”, disse Natalia.

Foto: Alex Bruno / Imprensa Global
Foto: Alex Bruno / Imprensa Global